Header Ads

ad

Matérias Recentes!

Como Juana La Virgen se transformou em Jane The Virgin

*aviso: spoilers sobre a série

Gina Rodriguez, a estrela da série Jane The Virgin, se tornou a primeira latina a ganhar o Globo de Ouro de Melhor Atriz em Série de Comédia ou Musical em 2015. Dois anos depois, a aclamada série já está confirmada para uma quarta temporada repleta de dramas dignos de uma telenovela: com um narrador impactante e situações tão absurdas quanto os próprios personagens. Mas essa veia exagerada da série não é coincidência: Jane The Virgin foi baseada na telenovela Juana La Virgen que era transmitida pela emissora Radio Caracas Televisión C.A., na Venezuela em 2002. 

A showrunner da série americana, Jennie Snyder Urman, revelou durante uma entrevista com o site A.V Club que quando a ideia do show Jane The Virgin lhe foi apresentada ela achou necessário se distanciar o máximo possível do desenrolar da telenovela:" Eu realmente queria saber como o original era para pegarmos o que funcionava e colocar em nosso mundo, criando algo novo, porque se fizéssemos o mesmo que a telenovela, não funcionaria - eles já fizeram isso e muito bem. Eu queria ter a certeza que se a adaptássemos se transformaria em algo novo." 
Divulgação/Gif


Urman fez seu trabalho: Juana e Jane não poderiam ser mais diferentes! Juana La Virgen foi baseada na história original da roteirista venezuelana Perla Farías e começou a ser exibida pela emissora RCTCA em 14 de março de 2002. Aqui no Brasil, a novela fez sua estreia alguns meses depois, em 15 de junho, sob o nome de Joana, a Virgem, pela TV Record. Joana, ou melhor, Juana Pérez (Daniela Alvarado), é uma típica adolescente de 17 anos de idade, criada por sua mãe Ana Mária Pérez (Marialejandra Martin) e sua avó, a dona Azucena Pérez, uma senhora rígida e fervorosa. Inseminada acidentalmente, Juana é a única chance de Maurício de la Vega (Ricardo Àlamo) se tornar um pai, mas é claro que a esposa malvada dele, Carlota (Roxana Días) e Desirée (Norkys Batista) não vão desistir de Maurício assim tão fácil. 

Nesta versão original de Juana La Virgen, vale ressaltar, a protagonista não faz parte de um triângulo amoroso e nem descobre que está grávida no primeiro capítulo. Para se ter uma ideia, Juana apenas constata que está grávida depois de quinze capítulos e demora mais um pouco para que sua família descubra, duvidando, inclusive, que a garota seja realmente virgem. Em Jane The Virgin ninguém duvida de sua palavra. Aliás, na série, Jane está dividida entre dois amores enquanto Juana tem como amor verdadeiro Maurício, o pai de sua criança, com quem ela sempre esteve destinada a ficar. É com ele que Juana, ainda grávida, perde sua virgindade, o que foi alvo de grande polêmica na Venezuela. Jane mantém sua palavra: fica virgem até seu casamento. 

Joana, a Virgem (Juana La Virgen) quando era transmitido pela Record entre 2002 e 2003

Já na sinopse de Jane The Virgin, Jane Villanueva (Gina Rodrigues), é uma aspirante à escritora de 23 anos de idade que escolheu ser virgem por escolha própria e por sua religião. Noiva de Michael Cordero Jr. (Brett Dier), ela já tem sua vida toda planejada, a não ser por uma inseminação artificial acidental que a faz se tornar a única chance de Rafael (Justin Baldoni) de se tornar um pai. Mas a ideia de usar a amostra não foi dele: sua esposa Petra (Yael Grobglas) resolveu usar o esperma para engravidar e impedir seu divórcio. Adicione à essa mistura um assassino sem rosto, uma mãe inconsequente e um pai ator de novelas, chamado Rogelio de La Vega em referência ao Maurício de Juana, la Virgen, e temos a vida de Jane, com um dos melhores triângulos amorosos já feitos na televisão atual e completada por um narrador que mantém o tom exagerado da típica telenovela com perfeição.  

Assim, fica fácil perceber que Juana La Virgen e Jane The Virgin apenas têm em comum a história central: uma virgem que acaba engravidando acidentalmente. Juana La Virgen se leva muito à sério enquanto Jane The Virgin é uma série que permanece fiel à sua drama-comédia tipo pastelão. 
Juana, La Virgen e Jane The Virgin: iguais, pero no mucho                                 Divulgação/Gif




A série, aliás, não foi a única regravação de Juana La Virgen. Entre 2009 e 2010, uma emissora na Polônia exibiu o show Majka, ambientada em Cracóvia, sobre uma estudante de fotografia, interpretada por Joanna Osyda, que acaba grávida por um erro de inseminação artificial e trabalha na mesma revista que Michael (Tomasz Ciachorowski), seu chefe e pai de seu bebê. Parece familiar? 

A famosa emissora Televisa, do México, também fez sua versão de Juana La Virgen, chamada La Virgen de la Calle, em 2014 com Maria Gabriela Faría e Juan Pablo Llano como protagonistas. E tem mais: existe até mesmo uma adaptação indiana intitulada Ek Ladki Anjaani Si, que fez um tremendo sucesso com um total de 364 episódios exibidos pelo canal Sony na Índia entre 2005 e 2007, na qual Juana, ou melhor, Anu (Kanchi Kaul) é uma jovem de 18 anos de idade, que tem seus sonhos de se tornar uma jornalista esmagados por esse bebê surpresa. 

A telenovela Juana La Virgen deu origem à outras de muito sucesso                Divulgação/Montagem
O mais interessante é que em todas as versões de Juana La Virgen, as protagonistas ficaram, no final, com o pai de seus filhos, o que em Jane The Virgin seria o equivalente de Jane terminar ao lado de Rafael. A showrunner Jennie Urman já deu a entender que não pretende que a história tenha o mesmo final. Será mesmo? Ou é possível mais uma reviravolta digna de telenovela? 


Author Image

Sobre Gabriella Baliego
Vem revirar a caixa do cinema com a gente! Filmes, músicas, arte, livros, séries - tudo que tem a ver com o universo clássico da sétima arte.

Nenhum comentário