Header Ads

ad

Matérias Recentes!

O real Eddie 'A Águia' Edwards do filme Voando Alto (2016)


*aviso: spoilers sobre o filme 

Não existe nada como uma boa história de superação. A incerteza da vitória combinada com os sacrifícios passados e provando erradas as pessoas que duvidavam de sua capacidade. Michael 'Eddie' Edwards, foi, assim, um vitorioso: provou que todos estavam errados sobre ele e com muita satisfação. Para se ter uma ideia, ele é, até hoje, o único recordista britânico da modalidade salto de esqui. O filme Voando Alto (Eddie The Eagle), de 2016, baseado em sua trajetória, é a prova gravada de sua inquebrável força de vontade. 

É nele que conhecemos Michael, ainda criança, cultivando seu sonho de um dia participar das Olimpíadas. Seu pai o desencorajava a cada nova tentativa enquanto sua mãe acreditava e o ajudava a perseverar para realizar seu sonho. Um dos fatos que logo moldam o tom da história de superação de Michael é a cena dele, quando criança, usando muletas devido à um problema no joelho. De fato, o acidente aconteceu: sempre aventureiro, o Eddie real danificou sua cartilagem do joelho e teve que ficar três anos engessado. Mas isso não o impediu em nada: Eddie garantiria seu lugar na história durante as Olimpíadas de Inverno de 1988 em Calgary, no Canadá. 

Michael 'Eddie' Edwards foi um dos azarões mais famosos do esporte                         Divulgação/Gif
Em entrevista ao jornal The Guardian, o atleta revela que o filme Voando Alto (Eddie The Eagle), de 2016, não é uma cinebiografia exata sobre sua vida: "Há uma grande quantidade de licença poética no filme. Se eles me mostrassem como um atleta soberbo, não encaixaria na história. Eu era até que um bom atleta, mas é verdade que eu tive essas dificuldades e eles queriam focar nas dificuldades." 

O sonho original de Eddie era ser um jogador de futebol para participar das Olimpíadas. Com o joelho machucado, ser um atleta futebolístico estava fora de questão de forma permantente. Assim, aos 14 anos de idade, ele descobriu a pista de esqui e se apaixonou pelo esporte. O modo como isso aconteceu foi diferente do representado no filme Voando Alto, que mostra Eddie se interessando pelo esqui porque ao lado do trabalho de seu pai existia uma pista do esporte. O verdadeiro Eddie conta em seu livro Eddie The Eagle; My Story, lançado em 2016, que começou a treinar na modalidade ao fazer uma visita à pista de esqui em Gloucester, na Inglaterra, que sua escola proporcionou aos seus alunos visitarem durante uma viagem. Esse foi o início da longa trajetória de Eddie 'A Águia' Edwards que, na cinebiografia, é interpretado por Taron Egerton; extremamente elogiado pelo atleta. 

Voando Alto também toma mais uma liberdade para fazer com que seu filme seja mais atrativo para sua audiência: mostram Eddie como um péssimo esquiador, quando, na verdade, ele se qualificou para o esquadrão de esqui da Inglaterra em 1984 como o nono atleta mais veloz do mundo. Por que ele não participou das Olimpíadas então?  No filme Voando Alto a justificativa é pela sua aparente falta de destreza. Já na vida real, ele conseguiu fazer parte do esquadrão da Inglaterra, mas acabou sendo expulso no seu primeiro dia por um de seus seletores. Ele tentou se qualificar diretamente para o time britânico, mas tentar sobreviver na Itália por tanto tempo se provou um sacrifício monetário que ele não poderia mais manter. Voltou para casa. 

Divulgação

Foi assim, sem dinheiro e de volta para casa que ele resolveu se tornar um saltador de esqui: era mais barato e, o melhor de tudo, era que o Reino Unido nunca teve um atleta nessa modalidade depois de Percy Legard, que competiu em 1929. Eddie juntou o útil ao agradável e foi atrás de seu sonho olímpico. Ele não se decidiu pelo esporte ao observar um pôster em sua parede, como o filme sugere. 

Outra mudança do longa-metragem foi como ele conseguiu treinar para ser um saltador de esqui: ao invés de conhecer uma dona de bar educada e generosa, que o deixava dormir no estoque em troca de alguns serviços, o Eddie, na verdade, trabalhava como podia: entregando jornais, e até trabalhando como pedreiro para ganhar dinheiro para seu treinamento. Sua mãe, Janette, seu pai Terry (que apoiava incondicionalmente o sonho do filho e nunca foi antagonista à ele) e seus irmãos Duncan e Elizabeth (que não são mencionados no filme) financiavam sua ambição como e quando podiam. O atleta até precisou dormir em um hospital psiquiátrico por falta de dinheiro!   

No entanto, uma da licenças mais exageradas do filme, mas que fazem parte de narrativas com esse tipo de fórmula biográfica, foi a adição do personagem Bronson Peary, vivido por Hugh Jackman, um ex-saltador de esqui bem-sucedido que acabou se perdendo no meio da fama e do talento e, se afeiçoando por Eddie, o ajuda a treinar para as Olimpíadas de Inverno. Na realidade, Edwards passou por vários treinadores em sua jornada, com os mais importantes sendo Chuck Berghorn e John Viscome,  que o instruíram em Lake Placid, em Nova York, nos Estados Unidos em 1985. Um ano depois Eddie já havia começado a competir em eventos menores e até representou a Grã Bretanha em 1987 no Campeonato Mundial em Oberstdorf, na Alemanha, ficando na posição 67. O público adorava o jeito peculiar de Eddie e logo ele ganhou uma horda de fãs fieis. 

Bronson foi um personagem totalmente inventado pelos roteiristas                              Divulgação

Por outro lado, Michael 'Eddie' Edwards nunca teve uma relação fácil com o comitê britânico, fato que Voando Alto mostra com perfeição. Ao ser classificado para as Olimpíadas de Inverno de 1988 em Calgary no Canadá, seus colegas esquiadores realmente não gostaram nada de sua presença e basicamente o ignoravam. Apenas demonstraram ciúmes de Eddie quando sua personalidade expansiva, que logo fez sucesso na mídia, o tornou um queridinho do público, que lhe nomearam de Eddie The Eagle (Eddie A Águia).  

Mas nem a torcida de seus fãs impediu que ele acabasse em último em todos os pulos que deu durante as Olimpíadas: os de 70 e 90 metros. Voltou para casa, entretanto, como um herói, sendo mencionado inclusive no discurso de encerramento das Olimpíadas. Suas dificuldades, infelizmente, ainda não tinham acabado. 

Depois de bater todos os recordes britânicos no esporte, o Comitê Olímpico, decidiu que o fenômeno impressionante de Eddie não deveria ocorrer de novo. Resolveram criar, em 1990, a Eddie The Eagle Rule (A regra de Eddie The Eagle), que obriga os concorrentes a competirem em eventos internacionais e conseguirem uma qualificação entre os 30% entre os 50 melhores competidores para serem qualificados para os Jogos. Antes bastava ser o único representante do esporte em seu país e você já estava, praticamente, dentro! Eddie tentou se qualificar para as Olimpíadas de Inverno de 1992 e 1994. Não obteve sucesso e se aposentou. 

A vida de Michael 'Eddie' Edwards continuou a rodar como uma montanha-russa: de um azarão que se tornou um herói, aclamado por horas ao retornar para casa, foi à falência, deu à volta por cima de novo, se tornou pai e continua a dar palestras motivacionais e a contar sua história para quem quiser ouvir. Em 1988 ele personificou o verdadeiro espirito dos Jogos Olímpicos que o filme Voando Alto (2016) representou tão bem: "o importante é competir, não ganhar."  No fim, Eddie fez os dois. 

Author Image

Sobre Gabriella Baliego
Vem revirar a caixa do cinema com a gente! Filmes, músicas, arte, livros, séries - tudo que tem a ver com o universo clássico da sétima arte.

Nenhum comentário