Header Ads

Matérias Recentes!

Os filmes românticos de River Phoenix

River Phoenix é um tanto quanto James Dean - ambos tiveram uma carreira curta nos cinemas e morreram jovens demais. Mas enquanto Dean era um rebelde sem causa, mesmo, River sempre se preocupava com consumo consciente, com os direitos dos animais e com fazer o mundo ser um lugar melhor. 

Isso não impediu, no entanto, que os dois tivessem mortas trágicas, que juntamente com carreiras brilhantes, marcaram seus lugares como ícones do cinema. A comparação entre River Phoenix e James Dean já é batida, mas vale para lembrar que sem uma estrutura sólida fora do cinema, muitos astros caem em uma jornada de autodestruição inevitável. 

Meu primeiro encontro com River Phoenix aconteceu aos 13 anos de idade, quando assistia, durante o natal, seu filme Conta Comigo (Stand By Me, 1986) que o transformou em um astro da sétima arte. Com apenas 15 anos na época da filmagem, River impressionou à todos e logo dois anos depois do lançamento de Conta Comigo, recebia sua primeira indicação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por Peso de Um Passado (Running On Empty, 1988).

River contracenou com sua namorada na época, Martha Plimpton                               Divulgação/Gif
Mas apesar dos olhos esverdeados, cabelos loiros e um porte altivo, River fez poucos filmes de romance. Isso porque ele detestava ser visto apenas com um galã e o único filme de comédia romântica que ele realmente fez foi Uma Noite na Vida de Jimmy Reardon (Jimmy Reardon, 1988) que o ator mesmo declarou ser seu pior trabalho e que só o fez para conseguir uma melhor condição de vida para sua família (o pagamento era ótimo).

Sobre ser considerado um galã (heart throb), River desabafou para a revista Details de novembro de 1991: "Quando eu penso nessa palavra, penso em um coração com as artérias entupidas. Eles dizem isso de todo mundo. É uma projeção da mídia e me faz querer comer hambúrgueres, para que meu coração caia.", vale lembrar que a crítica é bem pesada, já que River era vegano. 

No entanto, seus filmes românticos são alguns dos mais doces, talvez pela interpretação intensa de River em todos eles. Confira, a seguir, os filmes românticos do ator!  

UM DIA NA VIDA DE JIMMY REARDON (JIMMY REARDON, 1988)

Divulgação
Uma Noite Na Vida de Jimmy Reardon ( Jimmy Reardon, 1988) foi baseado no livro autobiográfico intitulado Aren't You Even Gonna Kiss Me GoodBye? do diretor do filme, William Richert. Nele, conta-se a história de Jimmy, vivido por Phoenix, como um jovem rebelde que tem várias namoradas e acaba se envolvendo com uma mulher mais velha, percebendo que seu problema mesmo é a relação com seu pai.

Apesar de um elenco afiado, com Ione Syke ( a mesma atriz do filme Digam o Que Quiserem, 1989), Paul Koslo e Ann Magnuson, o filme sofre com a falta de uma história mais redonda e a indecisão do diretor - afinal, a personagem de River não tem personalidade nenhuma, apenas age de acordo com o que a história pede. É por isso que como comédia romântica o filme falha e é uma pena - River, tão novinho, era ideal para um papel bom de comédia romântica, como Alguém Muito Especial (1987), por exemplo.

A mãe de River, Heart, insistiu que ele participasse do filme, mas depois que percebeu o teor sexual forte do filme, fez de tudo em seu poder para que seu filho não participasse de entrevistas e nem das premieres de Uma Noite na Vida de Jimmy Reardon (1988). Mas, no começo, River via o filme como uma forma de expandir seus talentos artísticos, tanto que escreveu uma canção para o filme que não foi usada. Mais tarde ele formaria a banda Aleka's Attic. 

Ele disse, via a biografia He's Still Here: The Biography of Joaquin Phoenix de Martin Howden: "Ele (a personagem) se deixa levar pelos seus sonhos, que ele quer realizar em um dia e meio. Não é o seu típico filme adolescente, porque é todo visto pela visão poética de Jimmy e realmente não tem um final feliz e nem deveria. Jimmy termina sem nada e com ninguém. Ele tomou o caminho errado em algum lugar na linha e eu não ia querer ser que nem ele. Ainda assim, suas intenções são lindas. Ele quer ir para o Havaí e viver no Paraíso. Todo mundo quer isso. Eu criei o passado inteiro de Jimmy para que suas ações fossem entendidas. Jimmy é mais manipulador do que eu e mais ousado com as mulheres. Na verdade, esse é o primeiro filme que fiz qualquer cena de amor ou comédia. Eu até me sinto culpado de estar sendo pago." 

Infelizmente, o filme foi reeditado e regravado inúmeras vezes, transformando a citação de River acima, quase como se o ator falasse de outro filme totalmente diferente. Assim, Um Dia na Vida de Jimmy Reardon se transformou no mais odiado filme na carreira de River, que contou: "Eu não concordo com esse tipo de filme. Um dia Na Vida de Jimmy Reardon foi um grande erro. Eu era muito jovem e não sabia que estava desperdiçando meus talentos de um maneira enorme. Eu estava explorando algo especial. O filme não saiu do jeito que eu esperava. Eu nem sei se era a pessoa certa para o papel. Para que funcionasse, acho que deveria ter alguém um pouco mais masculino, como Tom Cruise. Ele se daria muito melhor do que eu." 


APOSTANDO NO AMOR (DOGFIGHT, 1991) 

Lili Taylor e River Phoenix juntos nesse romance                                          Divulgação 
O filme Apostando no Amor (Dogfight, 1991) conta a história de um grupo de fuzileiros que antes de servirem na grande Guerra da Coréia, tem alguns dias de licença e usam para participar da competição chamada Dogfight que consiste em achar a menina mais feia para levar à festa. Quem levar a mulher mais feia da festa ganha muito dinheiro. É assim que Eddie Birdlace, interpretado por River Phoenix, conhece a doce Rose, vivida por Lili Taylor, quem ele leva para o baile. O problema é que ela descobre a armação e é a único que enfrenta os fuzileiros. Assim Eddie corre atrás dela e uma noite inesquecível começa. 


Lili Taylor, em entrevista ao site AV Club, revelou que esse foi um papel difícil para o ator: "Ele era um baita hippie e ali estava ele interpretando um fuzileiro. Causava muito desconforto para ele. Eu não acho que ele gostava de entrar nesse estado." A entrevista de River para a revista Premiere de outubro de 1991 confirma o que Taylor conta, já que o ator diz: "Há coisas que Eddie faz que se eu fizesse ficaria muito envergonhado. Mas não sou eu. Isso pertence apenas à ele." 

Talvez o mais surpreendente do filme é que foi gravado pela diretora Nancy Savoca, a única diretora mulher que River trabalhou nos cinemas. "É uma dicotomia no fato de termos uma diretora mulher. A norma seria pensar: 'O que uma mulher faz dirigindo um filme sobre fuzileiros?'", conta River. No entanto, a gravação não foi sem suas dificuldades, os executivos do estúdio do filme Warner Bros ficavam sempre de olho no que estava acontecendo e nas primeiras semanas de gravações, Nancy não sabia se manteria seu emprego. 


Mas o filme, apesar de ter um modesto sucesso em seu lançamento em 13 de setembro de 1991, atualmente é considerado um clássico cult e um dos filmes favoritos da maioria dos fãs do ator, apesar da gritante diferença entre a personagem e River, o que fez com que ele crescesse em sua profissão: "Birdlace não tem qualquer noção de si mesmo de nenhum jeito interessante. Ele é um prisioneiro inconsciente da sua própria raiva e uma parte sua está em negação.", conta River que teve que mudar seu cabelo e seus hábitos para o papel, ao mesmo tempo que interpretava um gigolô gay ao lado de Keanu Reeves no filme Garotos de Programa (My Private Idaho, 1991). 


UM SONHO, DOIS AMORES (THE THING CALLED LOVE, 1993)

River Phoenix no último filme completo de sua carreira                                          Divulgação
River Phoenix já estava com um sério problema com drogas quando gravou este filme. Recém-separado de sua namorada de longa data, Suzanne Solgot, histórias circulavam na gravação de Um Sonho, Dois Amores (1993) de que ele aparecia no set enquanto estava drogado, murmurando e tropeçando por algumas de suas cenas. Visivelmente mais magro e com um atitude diferente de seus outros filmes, não é difícil de ver que ele precisava de ajuda. Peter Bogdanovich, no entanto, o diretor de Um Sonho, Dois Amores (1993) tentava minimizar os boatos, embora admitisse que o ator estava andando com as pessoas erradas: "Todos nós estávamos preocupados com o tipo de pessoas que ele estava andando. L.A o incomodava. Algo lá conseguia aflorar todas as coisas ruins na vida dele." 

O filme Um Sonho, Dois Amores (1993) conta a história de Miranda Presley, vivida por Samantha Mathis, uma novata no mundo da música que se muda para Nashville para ir atrás de seu sonho de se tornar uma cantora country de sucesso. No meio do caminho, ela encontra pessoas com sonhos tão grandes quanto os dela, sua amiga Linda Lue Linden, um dos primeiros papeis de Sandra Bullock,  e dois homens que vão mudar sua vida e dividir seu coração: o badboy James Wright, interpretado por River Phoenix, e bonzinho Kyle Davidson, de Dermot Mulroney. 

River se envolveu com o filme quando o agente dele leu o roteiro e enviou para ele, que ficou muito interessado em fazê-lo. Assim o estúdio do filme ligou para o diretor, que aprovou a escolha de River para o papel. Samantha Mathis, que estava indecisa de aceitar a oferta do diretor, confirmou assim que soube que River participaria (os dois começaram a namorar logo no começo do filme e Samantha terminou com seu então namorado, John Leguizamo). Todos os integrantes do filme escreveram ou ajudaram a escrever suas próprias canções e todos usaram sua voz de canto real. River escreveu duas canções para o filme, mas apenas Lone Star State of Mind foi usada.  

Sobre o filme e como o toque maternal de Miranda Presley mudou seu personagem, River confessou em entrevista ao jornal Santa Fe em 27 de agosto de 1993: "Eu confio muito nas mulheres. Se eu achasse uma mulher como essa neste cômodo, eu daria minha vida para ela. Você manda e eu estarei lá." 



Aproveite e confira nosso vídeo com 5 curiosidades que você talvez ainda não saiba sobre River Phoenix, no primeiro vídeo idealizado para nosso site, a seguir! 




Author Image

Sobre Gabriella Baliego
Vem revirar a caixa do cinema com a gente! Filmes, músicas, arte, livros, séries - tudo que tem a ver com o universo clássico da sétima arte.

Nenhum comentário