Matérias Recentes!

6 filmes para assistir na virada do ano

Todo mundo sabe que a virada do ano foi feita para curtir, seja com os amigos, com a família e até sozinho. E quem disse que você não pode curtir em casa, assistindo um filmaço, sentindo-se bem consigo mesmo e com as pessoas, ou a falta delas, à sua volta? 

Existem filmes que usam o ano-novo como foco principal, como é o caso de longas como A Noite de Ano Novo (New Year's Eve, 2011) e Party, Party (idem, 1983), mas outros usam a ocasião especial como um catalismo para acontecimentos ainda mais importantes. Se o ano novo é um tempo de contemplação, diversão e esperança, os filmes a seguir vão te ajudar e muito nesta jornada. 

Confira! 

A COMÉDIA DOS ACUSADOS (AFTER THE THIN MAN, 1936)
Divulgação/Gif
O segundo filme da saga A Ceia dos Acusados, que começou em 1934, o longa A Comédia dos Acusados (After The Thin Man, 1936) ainda é um dos primeiros filmes de estreia do James Stewart, e é uma das películas que catapultou o fenômeno dos filmes de mistério em Hollywood como O Rapto da Meia-Noite (The Midnight Star, 1935).

A Comédia dos Acusados segue a história de Nick e Norah Charles, interpretados por William Powell e Myrna Loy, assim que eles acabam de resolver o primeiro caso do filme anterior. De volta para casa, os dois querem descansar, mas a prima de Nora pede ajuda para encontrar seu marido desaparecido. A partir daí, uma lista de suspeitos surge e o espectador acompanha o casal e seu adorável cachorro, Asta, na busca do culpado. 

O filme todo ocorre entre o Natal e o Ano Novo com direito à uma grande festança, é claro. Baseado no livro The Thin Man de Dashiell Hammet, ele nunca ganhou uma continuação igual ao filme, mas suas 259 páginas deram partida para seis filmes estrelando Nora e Nick. 

Combinando romance, mistério e muita classe, a Comédia dos Acusados (After The Thin Man, 1936) é ideal para assistir no ano novo se você é um fã indiscutível de mistérios e como resolvê-los. 

BABY CAKES (IDEM, 1989)
Divulgação
Já para os mais românticos, o filme ideal é o Baby Cakes (idem, 1989). Estrelado por Ricki Lake, que fez um sucesso estrondoso com sua estreia no musical Hairspray (idem, 1984) como a espevitada Tracy Turnblad, e o galã Craig Sheffer, o filme conta o dilema do jovem casal Grace, vivida por Tracy, e Rob, interpretado por Craig, que enfrentam o preconceito e o julgamento de amigos e familiares por ela ser fora dos padrões de beleza, ou seja, gorda. 

O filme Baby Cakes se passa entre o espaço de tempo do Natal e do Ano Novo e engloba desde o romance dos protagonistas até a auto-realização de Rob de que ele ama Grace exatamente como ela é. Uma comédia romântica bem 'água com açúcar', refilmagem do filme alemão Estação Doçura (Zuckerbaby, 1985), o filme lida muito bem com as diferenças dos protagonistas e como isso os une mais do que pode separá-los. 

Em sua autobiografia Never Say Never: Finding a Life That Fits, Ricki Lake confessou que estava aterrorizada ao filmar BabyCakes, por ainda ser inexperiente em relacionamentos e ter que seduzir Craig nas telas. Mas o filme a ajudou exatamente nesse aspecto: "O filme me ajudou a me ver como uma mulher adulta com um lado sensual ao invés de uma garotinha insegura." 

Um filme feito para a aceitação das diferenças, não tem melhor jeito do que esse para começar o ano!



200 CIGARROS (200 CIGARETTES, 1999) 
Divulgação/Gif
Dirigido pela Risa Bramon Garcia, o filme 200 Cigarros (200 Cigarettes, 1999) é estrelado por inúmeros atores famosos, que dividem tempo na telona para contar suas histórias, que acontecem exatamente no ano novo. O espectador acompanha as narrativas que vão desde dois amigos que não conseguem admitir que se amam, até uma fã do cantor Elvis Costello que sempre parece perder a chance de conhecê-lo. 

Com atores como Paul Rudd, Cristina Ricci, um dos primeiros papeis de Kate Hudson, Courtney Love, e os irmãos Ben e Casey Affleck, o filme tem alguns personagens irrelevantes, é verdade, mas ver como cada história se desenvolve individualmente é muito divertido. O filme acontece no ano novo de 1981 e as roupas e o clima são fielmente representados em 200 Cigarros, tanto que até parece uma caricatura! 

Mas com cenários lindos de Nova York, um elenco afiado e um roteiro ainda mais engraçado, 200 Cigarros tem muita pouca fumaça, seus personagens nem fumam tanto assim, e muita ânsia de seus personagens. Isso é o que faz ser um filme de ano novo memorável. 


A DIVORCIADA (THE DIVORCEE, 1930) 
Divulgação
Mas se você é do tipo de pessoa que não dispensa um drama nem durante o ano novo, A Divorciada (The Divorcee, 1930) foi feito para você! Norma Shearer teve que lutar para conseguir o papel, já que nem seu marido, o produtor Irving Thalberg, achava que ela tinha o necessário para interpretar uma sedutora nas telonas. A primeira escolha do estúdio MGM era Joan Crawford e o fato de Norma ganhar um Oscar por sua performance no filme A Divorciada, adicionou mais fogo à rixa entre as duas. 

O filme conta a história de Jerry, vivida por Norman, que descobre que seu marido foi infiel e decide traí-lo com um de seus amigos, Don, vivido por Robert Montgomery, no ano novo. O problema é que ela é apaixonada pelo melhor amigo de seu marido, o doce Paul, interpretado por Conrad Niegel, que é casado. 

Repleto de dramas e reviravoltas amorosas, A Divorciada mostrou uma diferente faceta da atriz Norma Shearer, que conseguiu provar que era muito mais do apenas comportada. Ela, como mulher, poderia ser várias coisas. 

O CLAMOR DO SEXO (SPLENDOR IN THE GRASS, 1961)

Divulgação/Gif

Apesar da péssima tradução do título do filme, que em português é O Clamor do Sexo (Splendor in The Grass, 1961), a película, uma das melhores de Natalie Wood e Warren Beatty, conta a história de um casal incrivelmente apaixonado, que sofre com as repressões e etiquetas de seu tempo. 

Natalie interpreta Wilma Loomis, uma adolescente tímida que namora o maior partido do seu colégio, Bud, o papel de estreia de Beatty nos cinemas. O problema é que a família de Bud não acha que Wilma é suficiente para ele, enquanto que a família de Wilma tem medo que a reputação de sua filha fique manchada para sempre. O destaque também vai para a atriz Barbara Loden, que interpreta a irmã mais velha de Bud. 

Beatty e Wood se tornaram um casal logo após a estreia do filme e os dois eram um arraso de tão lindos! Um filme especial, dirigido pelo sempre talentoso Elia Kazan, O Clamor do Sexo é ideal para assistir ao lado daquela pessoa especial na sua vida! Com um roteiro impecável e atuações soberbas, esse longa-metragem é um dos meus favoritos, inclusive ganhando uma versão com Michelle Pfeiffer nos anos 80!  

UMA ESPERANÇA NASCEU EM MINHA VIDA (BUNDLE OF JOY, 1956)
Divulgação
Debbie Reynolds e Carrie Fisher, uma das duplas de mãe e filha mais talentosas do entretenimento, continuam a fazer muita falta. Em filmes como A Inconquistável Molly Brown (The Unsinkable Molly Brown, 1964) e Cantando na Chuva (Singing in The Rain, 1952) , Debbie se firmou como uma das estrelas mais queridas de Hollywood. 

E depois disso, formou um dos casais mais queridos de Hollywood, ao lado do cantor e ator Eddie Fisher, isso antes de ele traí-la com Elizabeth Taylor, em uma das fofocas hollywoodianas mais controversas de todos os tempos. Antes disso, no entanto, Debbie estrelou ao lado de Eddie em Uma Esperança Nasceu em Minha Vida (Bundle of Joy, 1956).

O filme conta a história de Polly Parrish, vivida por Debbie Reynolds, que encontra um bebê recém-nascido que foi abandonado e resolve criá-lo como se fosse seu. O problema é que muitos assumem que o filho é dela, incluindo o filho de seu chefe, o atraente Dan, interpretado por Eddie Fisher, que acaba se apaixonando por Polly. 

Uma Esperança Nasceu em Minha Vida (Bundle of Joy, 1956) é um longa-metragem no qual consegue-se perceber como as pessoas à nossa volta são tão importantes para nós e sendo também um musical, nada melhor do que as vozes melódicas de Eddie e Debbie, que desta vez usa sua voz de canto real, para conduzir, com muita harmonia, o ano que vem! 


Nenhum comentário