Header Ads

ad

Matérias Recentes!

A estadia repleta de samba de Rita Hayworth no Brasil

Em 1962, a vida de Rita Hayworth sofreu mais uma mudança que tinha a ver com um homem: recém-separada de James Hill [um dos piores maridos da vida de Rita, à frente até de Dick Haymes], seu quinto marido, ela resolveu aceitar o convite do representante americano de cinema no Brasil, vulgo Harry Stone, e vir ao Brasil para aproveitar o carnaval carioca. Com 43 anos de idade, Rita já não tinha mais a beleza jovem que ficou eternizada no filme Gilda (idem, 1946) e mostrava uma beleza mais madura e calma e por que não, um tanto mais realista, depois de tantas amarguras em sua vida. 

De acordo com a finada revista Cinelândia, em 1962, Rita afirmou: "A maior alegria que experimentei de meus casamentos foi o momento de assinar a petição do divórcio." E com dois maridos bêbados e abusivos e outros três com falhas que iam desde a traição ao gênio forte, Rita chegou ao Rio de Janeiro sem a intensidade de Gilda, mas com o bom-humor e a fascinação que apenas Rita Hayworth poderia ter. 

 Rita Hayworth com Guilherme Araújo, diretor de televisão em sua estadia no Brasil                Cinelândia
Rita Hayworth chegou ao Brasil, mais precisamente no Rio de Janeiro, pelo aeroporto do Galeão em 25 de fevereiro de 1962, por um avião da Varig procedente dos Estados Unidos, às 20h22. A atriz, já esteve no Brasil uma outra vez, antes de alcançar o sucesso absoluto como estrela de cinema, em março de 1942 à pedido de seu então namorado - e futuro segundo marido - Orson Welles. Como sabe-se, o diretor veio ao Brasil para gravar um filme sobre a cultura brasileira chamado É Tudo Verdade. O filme nunca foi concluído. 

Recebida no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, o jornal Diário de Notícias, conta que: "logo que desceu do Galeão, quando foi feita esta foto, quis saber se a cidade já estava preparada para a folia e se os cariocas conservavam a mesma animação que a contagiou há alguns anos." A resposta pareceu ser positiva: Rita ficou quase um mês em terras brasileiras! 

Rita sendo recebida no aeroporto              Jornal A Noite
Alida Valli, famosa atriz italiana que também já trabalhou com Orson Welles, então ex-marido de Rita, também curtiu o carnaval na mesma época de Hayworth e no mesmo dia de sua chegada, as duas curtiram um cocktail pré-carnavalesco em Joá, bairro do Rio de Janeiro. Ambas estavam no país para divulgar o lançamento do filme O Sétimo Mandamento (Please Don't Tell, 1961) com o qual contracenaram com Rex Harrison. Alida estava gravando, no Rio, o filme Hora da Sesta (1962), ao lado de Louis Jourdan e Alexandra Stewart, dirigido pelo argentino Leopoldo Nilsson. 

Alida Valli em sua chegada ao Brasil       Divulgação
Hospedada no hotel Copacabana Palace, do qual o playboy Jorge Guinle era dono, Rita curtiu a noite carioca como nunca! Saía muito à noite e era extremamente simpática e receptiva com seus fãs, mas não gostava das câmeras quando estava curtindo momentos privados. Guinle era seu guia pessoal, levando-na para boates como a famosa Blue Angel e Rua 52, da Rua Rodolfo Dantas. 

Rita também fez aparições em programas de televisão como Ao Encontro da Música da TV Continental. O Jornal A Noite fez uma reportagem só sobre sua aparição, revelando a simpatia de Hayworth que ligou para o produtor do programa para saber que horas deveria chegar ao estúdio. A entrevista e o programa foram conduzidos pelo apresentador Haroldo Eiras e a atriz revelou estar muito animada para brincar durante o carnaval carioca.

Utilizando-se dos talentos de dança de Rita, a atriz se juntou à Elizote Cardoso, Jorge Veiga e Marlene e dançou samba em frente das câmeras. Essa foi a primeira vez, 27 de fevereiro de 1962, de todos os países que Rita visitou no qual ela concordou em ser entrevistada e aparecer em um programa de televisão. No ritmo do samba, a atriz mostrou toda sua graça e beleza e de quebra os brasileiros conseguiram um furo exclusivo! 

Rita Hayworth se divertindo no programa Ao Encontro da Música                                  A Noite
Depois de sua ida ao programa de televisão, Rita Hayworth já começou as festanças pré- carnaval, no dia 27 de fevereiro de 1962, com o pé direito: fazendo parte de uma festa com o tema "Uma Noite no Havaí", no Iate Clube do Rio de Janeiro. Sempre elogiada pelo seu samba perfeito, a atriz se divertia ao máximo na folia, com os olhares dos homens sempre nela. 
Rita optava por vestidos simples e bem ajustados
Já no dia 29 de fevereiro de 1962, Rita Hayworth curtiu o samba brasileiro ao lado da italiana Alida Valli, Alexandra Stewart, Paul Guera, Maurice Serfati e Violeta Antler. O grupo foi sambar com a Escola de Samba de Portela, detentora do chamado "tamborim de ouro". Rita se animou tanta que agarrou a bandeira da escola e acompanhada de um mestre-sala, desfilou como porta-bandeira. Antes de se dirigir a Portela, no entanto, Rita compareceu ao Mello Tênis Clube, onde foi oferecido um coquetel em sua homenagem, Em sua segunda visita ao clube, a atriz ganhou o título de sócia honorária. 

Em entrevista ao jornal Mundo Ilustrado na mesma noite, Rita revelou que entre todos seus maridos, apenas se casaria de novo com o príncipe Aly Khan, afirmando "quando morreu eu ainda o amava" e elogiou muito o samba, encerrando sua entrevista com a seguinte frase: "Só quero agora saber de samba!". As crianças da escola a adoraram e Rita distribuiu beijos e autógrafos na mesma medida. 

Rita Hayworth em sua visita a Portela: muitos abraços e beijos e, claro, samba!      Mundo Ilustrado/Montagem
No dia 1 de março de 2018, Rita Hayworth partiu para Brasília, ao lado do representante de cinema americano no Brasil, Harry Stone, para participar do então primeiro "Baile da Cidade" no Teatro Municipal. Ao seu lado também Sette Câmara, o então prefeito de Brasília. 

Chique com um vestido bem colado (e com marquinhas de biquíni, sinal de que aproveitou bem a praia), Rita ficou ao lado do primeiro ministro Tancredo Neves, Rita se divertiu muito no carnaval de Brasília, apesar de ter ficado muito pouco tempo no Estado: ela já estaria de volta ao Rio de Janeiro no dia seguinte para aproveitar, no domingo, dia 4 de março, a festa carnavalesca Quintandinha, da qual teve um pequeno contratempo. Teve tempo, contudo, de aproveitar um coquetel antes, no entanto, na residência oficial de Sette Câmara. 

Rita Hayworth ao lado de Tancredo Neves e se divertindo muito!                               Divulgação
Logo no dia seguinte, Rita retornou para o Rio de Janeiro para curtir, de perto, o carnaval brasileiro. Ela continuou frequentando boates à noite, sempre ao lado de Jorginho Guinle e/ou de Harry Stone. Rita e Jorginho estavam tão próximos que os jornais até noticiaram um possível romance entre eles. O jornal Última Hora noticiava: "Rita Encantada com o Rio: Romance com Jorge Guinle?", afirmando que a atriz estava passando tempo demais com o playboy e que ele a levaria para conhecer sua família em Teresópolis. 

Depois dessa noite no Havaí em pleno carnaval carioca, Rita tinha sua grande fantasia para carnaval do final de semana, mais especificamente, sábado, pronta: o da baiana. Idealizada pela estilista Mary Angélica, em tecido bangu, a pedido do colunista Ibrahim Sued, convenhamos que "baiana" não é uma fantasia. O traje de Rita, no entanto, era tão simples que nem parecia uma fantasia elaborada. Era feito para que ela se divertisse e o colar de contas completava seu look.


Rita "abafando" com seu look                        Divulgação
O baile de sábado, era o baile carnavalesco de Copacabana e Rita estava tão animada de participar das festividades que até ficou como juíza no Desfile de Fantasias. A atriz, no entanto, foi bem criticada por sair do carnaval às 1h10 da manhã, com um jornal afirmando que ela "fingiu sambar na porta apenas para agradar ao público." Ninguém pode negar que Rita era um doce com seus fãs e ficou na porta do evento durante muito tempo apenas dando autógrafos! 

A ganhadora do desfile de fantasias foi Regina Glaura Lemos, fantasia de Cleópatra. A sortuda ainda tirou uma foto lado a lado de Rita que pareceu se divertir muito sendo juíza, dando para as câmeras as melhores caras e bocas para serem publicadas em um jornal! O júri foi composto por, além da Rita, por Partenette de La Vaille, Nelly Ribeiro, Lourdes Catão, Mary Angélica (que desenhou o vestido de Rita), Segadas Vianna, Nenm de Castro, Miss Ly e Nichole Mesquita. A fantasia de Regina, por acaso, foi unânime entre todos os nove jurados como a melhor do baile! 


Rita julgando cada uma das fantasias e ao lado da vencedora                Divulgação/Montagem
Já no dia 4 de março, no próprio domingo de carnaval, Rita Hayworth "chegou às 19h30 no palanque oficial, montado ao lado da Escola Nacional das Belas Artes, para apreciar os desfiles das escolas cariocas. Esperou duas horas e meia e viu a passagem da primeira escola, a Tupi de Brás de Pina. Depois, cansada e aborrecida com a espera, retirou-se discretamente, deixando de ver um dos carnavais mais bonitos de Guanabara."; como noticia a revista O Cruzeiro de 1962. 


No entanto, Rita recebeu do Rei Momo da festa, ou seja o rei do Carnaval, o diploma de "Cidadã Samba"e assinou centenas de autógrafos para fãs do lado de fora da folia. No "diploma", em tradução livre já que boa parte do documento está ilegível, lia-se: 
Pela alegria, animação e [ilegível] demonstrados durante os festejos de Carnaval Carioca de 1962, concede-se a Rita Hayworth o diploma de "cidadão samba". 
Rita recebendo seu "diploma de samba"            Divulgação
Como noticiou o Jornal do Brasil, o desfile das escolas de samba atrasou e Rita, cansada, acabou nem indo para a festa da Quintandinha, que já estava programada em sua agenda. O baile do Municipal que ela viu do camarote presidencial lhe rendeu uma grande aventura na saída: envolvida pela multidão que amava a atriz, ela não conseguiu achar seu carro e andou até de radio patrulha para seu destino final. 

Rita foi então para Cabo Frio, no Rio de Janeiro, para descansar das tribulações do carnaval e ficou hospedada na casa do Príncipe João e Princesa Fátima de Orleans Bragança, que foram padrinhos em seu casamento com Aly Khan. Foi para lá no dia 7 de março e ficou dois dias, voltando ao Rio de Janeiro no dia 9 de março, para continuar com sua agenda de compromissos nas terras cariocas. 

Ao voltar, ela já fez presença no badalado desfile da grife Pipart, que fez um desfile exclusivo no Golden Room no Copacabana para mostrar suas mais novas criações. Dizem que Rita amou o desfile, principalmente dos modelos esportivos. Isso mostra que apesar do glamour, Rita era mesmo uma mulher mais simples. 


Rita fez parte deste desfile no dia 10 de março                                                Divulgação
Um dia depois, no sábado dia 11, Rita estava de volta ao Mello Tennis Clube, na Vila Leopoldina no Rio de Janeiro para receber seu título de sócia-honorária do clube. Um evento programado por Harry Stone,  teve presença de inúmeras personalidades, incluindo o diretor do clube, sr. Álvaro de Mello. Rita continuou em bons espíritos e continuou a dançar samba, como de praxe em sua viagem. 


Rita sendo muito bem recebida no Mello Tennis Clube                   Divulgação/Jornal dos Sports
Estava programada a viagem de volta de Rita Hayworth para Mar del Plata em Buenos Aires, no dia 13 de março, mas a atriz resolveu ficar ainda mais tempo no Brasil. Fez compras na já extinta Niná Boutiques, assim como sua amiga Alida Valli, comprando um biquíni rosa. Já Valli comprou um azul. Continuou a frequentar clubes ao lado de Harry Stone e de Jorginho Guinle, inclusive participando de uma festa em Joá, no RJ, feita por Eduardo Farah, em sua homenagem. 

Diziam que o motivo na demora de volta de Rita era seu romance com Jorginho que estava se tornando sério. Se foi verdade ou não que Rita teve um caso com o playboy, não se sabe - mesmo com o rosto de apaixonada de Rita na foto abaixo e a "confirmação" do jornal Última Hora -, mas que ela curtiu sua estadia no Brasil, é inegável. 
Rita acima no Golden Room e abaixo em recepção em Joá        Divulgação/Montagem
Foi no Carnaval, aliás, que Rita conheceu Lincoln Gordon, o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, e fez amizade com a embaixatriz, que convidou Rita para participar de uma exposição de artistas brasileiro contemporâneos em sua residência oficial. Foi de óculos para ver todas as obras e até conversou com o pintor Antônio Bandeira, em francês, sobre sua arte, apreciando e muito o abstracionismo da obra. Ela foi escoltada por Lúcia Stone, esposa de Harry Stone. Isso no dia 17 de março de 1962. 


Rita vendo as obras           Jornal
A deusa do amor, que ganhou seu próprio perfil aqui na Caixa de Sucessos, foi embora das terras brasileiras no dia 27 de março de 1962, exatamente um mês e dois dias depois de sua chegada, para começar os ensaios de sua mais nova peça na Broadway, a Step on Crack, no qual interpretaria uma ex-atriz infeliz casada com um médico tradicional. Por "razões médicas", Rita nunca conseguiu interpretar o papel que seria sua estreia nos palcos. 

Com muito bom humor, estilo e é claro a doçura típica de Rita, que era sempre muito calorosa e doce com os fãs e amigos, sua estadia no Brasil foi sem a turbulência típica das outras estrelas que chegaram e não sem motivo: a atriz amava o samba e, em retorno, o Brasil ainda a ama. 

Author Image

Sobre Gabriella Baliego
Vem revirar a caixa do cinema com a gente! Filmes, músicas, arte, livros, séries - tudo que tem a ver com o universo clássico da sétima arte.

Nenhum comentário