Header Ads

ad

Matérias Recentes!

O tabu do filme O Preço de Um Prazer (Love With The Proper Stranger, 1963)

*spoilers sobre o filme O Preço de Um Prazer (1963) 

Em 1963, a carreira de Natalie Wood estava no topo: dois anos antes, havia recebido sua segunda indicação ao Oscar de Melhor Atriz pelo filme Clamor do Sexo (Splendor in The Grass, 1961) e participou de um dos maiores clássicos musicais de Hollywood: o Amor, Sublime Amor (West Side Story, 1961). Seu acompanhante no Oscar era ninguém menos do que Warren Beatty, com quem ela viveu um romance - depois de terminar com Robert Wagner! 

Já Steve McQueen ainda estava no começo de sua carreira cinematográfica, apesar de ter conseguido algum sucesso nas telinhas com a série Wanted: Dead or Alive (1958-61). O lançamento de um de seus mais conhecidos filmes, o Fugindo do Inferno (The Great Escape, 1963) foi no mesmo ano em que ele se juntou à Natalie Wood para protagonizar o filme O Preço de Um Prazer (Love With The Proper Stranger, 1963). Essa foi a ironia: ele se tornou um astro de ação enquanto gravava um drama. 

Natalie Wood e Steve McQueen em foto publicitária maravilhosa do filme                        Divulgação
Um drama que foi indicada para cinco Oscars, incluindo a terceira indicação de Melhor Atriz para Wood, embora Queen tenha saído de mãos vazias. O Preço de Um Prazer (Love With The Proper Stranger, 1963), começou a ser gravado em março de 1963, em Nova York. Nele, Natalie interpreta Angie Rossini, uma jovem vendedora italiana que descobre estar grávida após apenas um encontro com um total estranho. O estranho? Rocky Pasapano, interpretado por Steve McQueen, um músico com uma vida complicada que se choca com a revelação de Angie. E ainda mais ao saber que ela quer dinheiro para fazer um aborto!

O Preço de Um Prazer (Love With The Proper Stranger, 1963) foi dirigido por Robert Mulligan e produzido por Alan J Pakula, que se inspiraram no movimento francês chamado Nouvelle Vague, ou seja, o propósito era fazer um filme íntimo e com inúmeras indecisões pessoais de seus protagonistas. Filmado em preto e branco e focado muito mais nas ações dos personagens e seus intuitos do que nos figurinos, cenários (os mantendo o mais simples possível) - O Preço de Um Prazer (Love With The Proper Stranger, 1963) conseguiu realizar esse intuito em partes.

Porque, apesar de se manter um filme sério e com crises existenciais, num tom neutro e por que não dizer, "bem europeu", O Preço de Um Prazer (Love With The Proper Stranger, 1963) também tem um ar de comédia, que se torna mais evidente no meio para o final do filme. Agora você se pergunta: o que Steve McQueen, um astro de ação e de filmes sérios, estava fazendo em uma tragicomédia? Aproveitando a chance para se provar um ator mais sério e de prestígio ao trabalhar com Robert e Alan, que juntos produziram e dirigiram o sucesso de crítica e público O Sol é Para Todos. O filme ficaria muito bem em seu currículo, assim como no de Natalie!


Steve McQueen e Natalie tinham uma ótima química                 Divulgação/Foto Publicitária
Mas a primeira escolha do diretor para o papel não era Steve McQueen e sim seu rival, Paul Newman, que rejeitou o papel para estrelar no filme O Indomado (Hud, 1963). Robert Mulligan depois convidou Steve, quem ele havia conhecido ao dirigi-lo em The Defender, uma série para a televisão. Ironicamente, Paul Newman foi indicado ao Oscar de Melhor Ator pelo filme e sua co-protagonista Patricia Neal, que aparecia em talvez apenas 20 minutos do filme, ganhou o Oscar que muitos críticos acreditavam que deveria ser de Natalie Wood. Steve McQueen deve ter ficado possesso por Paul Newman ter conseguido uma indicação ao Oscar ao invés dele!

De acordo com o livro Natalie Wood: A Life de Gavin Lambert, Steve "leu o roteiro da noite para o dia" e se comprometeu rapidamente ao papel de Rocky, algo que Mulligan e Pakula afirmaram ser o que queriam desde o início, embora tivessem convidado Newman para o papel primeiro. Este foi o primeiro papel de protagonista romântico de McQueen e cimentou de vez Steve McQueen como um simbolo sexual.

Mas um filme, é claro, não é todo definido pelos seus atores e sim pelo seu roteiro. O tabu do filme O Preço de Um Prazer (Love With The Proper Stranger, 1963) é justamente sua história: o aborto ilegal que Angie quer realizar. Vale lembrar que se no Brasil a prática ainda é ilegal, apenas liberado em caso de estupro, se o feto for anencéfalo ou quando há risco à mãe. Já nos Estados Unidos, a prática teve sua lei contrária amenizada em 1973, dez anos após o filme de Natalie e Steve. O assunto em 1963, portanto, era arriscado e ao transformar em uma comédia romântica o final trágico ficou muito previsível, mas não menos chocante para as audiências da época.


Angie e Rocky na clínica de aborto no filme                                                 Divulgação
De acordo com alguns fãs da Steve McQueen em um fórum dedicado ao astro, o roteiro original do filme O Preço de Um Prazer (Love With The Proper Stranger, 1963), mostrava como a cena inicial o personagem de Rocky sendo espancando pelos irmãos mais velhos de Angie, Dominick e Julio, vividos respectivamente por Harvey Lembeck e Herschel Bernardi. No roteiro, também, Rocky teria como namorada uma garota de descendência chinesa, de quem ele larga para se casar com Angie. 

O fato de que no final do filme (aviso de spoiler máximo a seguir): Angie não consegue realizar o aborto, com Rocky a impedindo, nem é tão previsível, isso porque ela rejeita sua proposta de casamento e se muda de casa, alugando um pequeno apartamento, rejeitando também as propostas do certinho Anthony Columbo, interpretado por Tom Bosley em seu primeiro filme. Mas, como isso é Hollywood e com alguém como Steve McQueen no filme, os dois protagonistas tem que ficar juntos, o que apesar de transformar o filme em uma comédia romântica bem bonitinha, também a torna, no final, previsível, mudando completamente o tom da película de uma hora para outra, ela vai de séria à comédia em um giro de 180º. 

Mas o filme tem seus triunfos, como a interpretação impecável de Natalie Wood, atores coadjuvantes muito inspirados, e marca o começo da parceria de Natalie com a estilista Edith Head, com quem a atriz trabalhou em sete filmes, incluindo Os Prazeres de Penélope (Penelope, 1966).

Nem tudo em O Preço de Um Prazer (Love With The Proper Stranger, 1963), entretanto, foram flores! Pelo menos não para Neile Adams, esposa de Steve na época. Natalie estava namorando o galã Warren Beatty, mas o relacionamento estava bem abalado...tanto que ela não conseguiu resistir ao charme de Steve e começou a dar em cima dele, coisa que Neile não gostou nadinha! Em seu livro My Husband, My Friend, ela conta:


Steve ficava maravilhado com os métodos que Natalie aplicava em chamar sua atenção e ficava muito animado para ver seu próximo passo. Mas ele resistiu por dois motivos: ela tinha sido casada com um homem que ele admirava, o Robert Wagner, e ela estava vivendo com outro que Steve gostava muito: o Warren Beatty. 
Steve McQueen e sua esposa Neile Adams ao lado de Natalie em 1964 na estreia do filme na França      KEYSTONE
Obra do destino ou da ironia, mas Natalie e Warren terminaram um dia antes do encerramento das filmagens de O Preço de Um Prazer (Love With The Proper Stranger, 1963), encerrado em abril. Steve e Natalie namoraram nos anos 70, depois de McQueen ter se divorciado de Nellie e antes de se envolver com Ali McGraw, que teve tanto impacto no astro, que sua terceira e última esposa, Barbara Minty, parecia uma cópia mais nova e mais suave de Ali.

Sobre trabalhar com Steve McQueen, Natalie não poderia ter sido mais doce: "Eu acho que ele é um dos homens mais atraentes que eu já conheci." Natalie também trabalhou duro para implementar partes de sua personalidade na personagem, revelando: "Arnold Shulman, o roteirista do filme, me encontrava para beber três vezes por semana, para que ele conhecesse coisas sobre mim que ele pudesse implementar na personagem." 

Sobre sua performance no filme, o diretor Robert Mulligan é quem não poupou elogios: "Natalie era sempre muito aberta em explorar personagens em uma cena. Ela não tinha medo e tentava de tudo. Ela nunca disse que não conseguiria fazer algo."


Natalie Wood nos bastidores de O Preço de Um Prazer (Love With The Proper Stranger, 1963)             TCM
A atriz também se inspirou em seu relacionamento com Beatty para entender mais o drama de sua personagem, como conta o livro Steve McQueen: A Biography de Marc Eliot. Tom Bosley, que interpreta seu pretendente no filme, afirmou: "Ela foi capaz, obviamente, de usar o que estava acontecendo em algumas cenas com McQueen." 

A própria Natalie não negou que fosse verdade: "Fazer O Preço de Um Prazer (Love With The Proper Stranger, 1963)  foi uma das experiências mais recompensadoras de minha vida. Minha vida pessoa estava bem caótica naquele tempo e o filme me ajudou, nós éramos como uma família." 

O Preço de Um Prazer (Love With The Proper Stranger, 1963) foi um dos primeiros filmes hollywoodianos a mostrar o quão perigoso era fazer um aborto ilegal e como as condições eram primitivas e sem segurança e higiene. O filme choca, mas ao se focar mais no romance do que no dilema das personagens, perde um pouco de sua força como grande denúncia. O tabu de O Preço de Um Prazer (Love With The Proper Stranger, 1963) é denso, mas se perde no meio do caminho ao optar por um final bem seguro, que em retrospectiva, é bem a cara da Hollywood da época. 

Steve McQueen e Natalie Wood, no entanto, brilham em seus personagens, e nós fazem lamentar por não terem feitos outros filmes juntos. 


Author Image

Sobre Gabriella Baliego
Vem revirar a caixa do cinema com a gente! Filmes, músicas, arte, livros, séries - tudo que tem a ver com o universo clássico da sétima arte.

Nenhum comentário