Header Ads

ad

Matérias Recentes!

11 filmes clássicos sobre histórias de amores impossíveis

*alguns spoilers sobre os filmes listados - não diga que não avisamos!

O dia dos namorados no Brasil é comemorado em data diferente do resto do mundo e a explicação é bem simples: por motivos comerciais. O dia original dos namorados, o 14 de fevereiro cai bem na semana da folia que é o Carnaval aqui no Brasil. Mas vale a pena lembrar que o dia 13 é o dia do Santo Antônio, conhecido pela fama de casamenteiro. 


Mas isso não quer dizer que a data do dia 12 de junho não é romântica: ela é a desculpa ideal para presentear a pessoa amada, dizer palavras de carinho e incentivo e o mais importante, mostrar que você se importa. Nesta data tão especial, nós da Caixa de Sucessos listamos onze filmes clássicos com histórias de amores impossíveis - aqueles tão trágicos que a gente não consegue desviar o olhar. 

Queríamos muito ter deixado a lista ainda mais inclusiva, com casais LGBT, mas não existem filmes clássicos que mostrem um relacionamento LGBT de forma direta e sem deixar nas entrelinhas, por causa do vigente Código Hays - damos como dica os filmes Diferente dos Outros (Different from Others, 1919), Brokeback Mountain (idem, 2005), Nunca Fui Santa (But I'm a Cheerleader, 2000), Garotos de Programa (My Own Private Idaho, 1991) e Imagine Eu e Você (Imagine Me And You, 2005) para citar alguns - e nem filmes que mostrem casais negros em destaque sem ser em papeis estereotipados- para isto indicamos filmes como Love Jones (idem, 1997), Além dos Limites (Love and Basketball, 2000), Jason's Lyrics (idem, 1994), Carmen Jones (idem, 1954) e Fire in The Sky (1943). 

Assim, nossa listinha de 11 filmes clássicos com histórias de amores impossíveis foi feita para que você aproveite o dia dos Namorados, seja com aquela pessoa do seu lado ou com você apenas. O importante aqui é seu amor pelo cinema!



A Ponte de Waterloo (Waterloo Bridge, 1940)

Vivien Leigh e Robert Taylor interpretam amantes destinados a sofrer
O filme A Ponte de Waterloo (Waterloo Bridge, 1940) é baseado na peça de teatro homônima de 1930. Em 1931, a peça ganhou seu primeiro filme estrelado por Mae Clark e Douglass Montgomery (e com uma novinha Bette Davis), mas foi com Vivien Leigh e Robert Taylor que a história de amor trágica entre Myra e Roy ganhou o status de um dos filmes mais românticos de Hollywood. 

O filme A Ponte de Waterloo (Waterloo Bridge, 1940), dirigido por Mervyn LeRoy, conta a história da bela bailarina Myra, vivida por Vivien, que encontra o amor nos braços de Roy, interpretado por Robert Taylor, um soldado durante a I Guerra Mundial. Os dois ficam noivos e Roy parte para a batalha. Acreditando que ele está morto e sem emprego, a bailarina se prostitui para conseguir sobreviver. O que ela não sabia é que Roy estava vivo e quando ele retorna, Myra tem que tomar uma decisão importante: contar a verdade ou proteger a honra de seu noivo. 

A peça Ponte de Waterloo é, em parte, baseada na história real de uma cantora de coro que o autor da peça, Robert E. Sherwood conheceu depois de retornar da Guerra em 1918. Segundo o livro Robert E. Sherwood: The Playwright in Peace and War de Harriet Alonso, ela o convidou para sua casa, mas ele esqueceu o endereço e nunca mais a encontrou. O encontro, no entanto, provou ter ficado marcado com ele, admitindo que: "Eu tenho escrito sobre ela e Londres nesta peça, o que é setimental, mas de forma justificada." A peça em si não fez sucesso na Broadway e foi no cinema que a história trágica de Myra e Roy encontrou seu verdadeiro lar. 

Um filme incrivelmente trágico, com um amor impossível de acontecer devido às circunstancias, A Ponte de Waterloo (Waterloo Bridge, 1940) é um filme que deve ser apreciado: seja sozinho ou acompanhado. 

Casablanca (idem, 1942)
Ingrid Bergman e Humphrey Bogart sempre terão Paris
Como o tema da matéria são filmes clássicos com histórias de amores impossíveis, o filme Casablanca (idem, 1942) não poderia faltar. Ingrid Bergman interpreta no filme Ilsa Lund, esposa de um fugitivo e renomado líder da resistência Victor Lazlo, vivido por Paul Henreid. Os dois se refugiam em Casablanca e lá Ilsa se reencontra com seu antigo amante, Rick, interpretado por Humphrey Bogart, quando os dois estavam em Paris na França, antes da ocupação nazista. 

O filme Casablanca (idem, 1942) assim como A Ponte de Waterloo (Waterloo Bridge, 1940) também foi baseado em uma peça de teatro chamado Everybody Comes to Rick's pelo casal Burnett e Allison em 1940. Eles nunca conseguiram financiamento para a peça então acabaram vendendo o roteiro para o estúdio Warner Brothers por 20 mil dólares. O filme, considerado uma das maiores obras do cinema, acabou faturando muito mais do que isso ao longo dos anos. 

A história de amor trágica entre Ilsa e Rick, que nunca realmente pode se tornar realidade, tem até direito à uma música-tema do casal e a frases memoráveis que, na hora, remetem ao filme. Quem consegue se esquecer de "Sempre teremos Paris" ou " Toque, Sam"? Casablanca (idem, 1942) tornou Ingrid e Humphrey em atores de primeiro escalão, com Humphrey se tornando um galã de cinema. Sobre isso, ele disse que foi graças à Ingrid: "O fato é se Ingrid parasse para olhar para você, você teria sexy appeal." 

Casablanca (idem, 1942), dirigido por Michael Curtiz, é um marco na história do cinema e na vida de todos os apaixonados. 

Um Lugar ao Sol (A Place in The Sun,1951)

Montgomery Clift e Elizabeth Taylor se tornaram amigos para vida toda
O filme Um Lugar no Sol (A Place in The Sun, 1951), dirigido por George Stevens, foi baseado no livro Uma Tragédia Americana de Theodore Dreiser, lançado em 1925, e conta a história de George Eastman, vivido por Clift, o sobrinho pobre de um industrialista poderoso que começa a trabalhar na empresa do tio, esperando subir de cargo pouco a pouco. Ele começa a namorar uma das funcionárias da fábrica, a doce Alice, interpretada por Shelly Winters, e logo o relacionamento se torna mais íntimo.

Tudo muda, no entanto, quando George encontra a rica socialite Angela, interpretada por Elizabeth Taylor, em uma das festas do seu tio. George se apaixona por Angela, mas quando Alice descobre estar grávida, o romance entre os dois se torna cada vez mais improvável e George toma uma resolução que mudará o curso de sua vida para sempre. 

Este é mais um filme no qual o amor não é o suficiente para manter duas pessoas apaixonadas juntas. O livro teve uma versão cinematográfica também em 1931, chamado Uma Tragédia Americana que é mais fiel à obra de Dreiser, mas não menos trágica. 

E como a vida imita a arte e vice-versa, Dreiser baseou seu livro em um verdadeiro assassinato ocorrido em 1906, o de Grace Brown. Grace era uma típica garota americana, assim como a Alice, se apaixonou pelo sobrinho do chefe da empresa Gilette Skirt Company. Os dois namoraram e Grace engravidou de Chester. Ele concordou em se casar com ela e a levou para longe, para o Big Moose Lake, em Nova York, onde ambos saíram para passear de barco. Ele a atingiu na cabeça e a afogou. 

Às vezes, a história de amor mais macabra de todas não acontece no cinema e sim na vida real. 

Amor Sublime Amor (West Side Story, 1961)

Natalie Wood e Richard Beymer vivem um amor à la Romeu e Julieta
Que Amor, Sublime Amor (West Side Story, 1961), dirigido por Jerome Robbins e Robert Wise, é baseado na história secular dos amantes Romeu e Julieta da peça de William Shakespeare. Mas o filme tem uma novidade que a peça não tem: é um musical, lida com as guerras entre gangues, os Jets (gangue dos brancos) versus os Sharks (os porto-riquenhos), e o preconceito que os imigrantes sofrem na tão "sonhada" América. 

Natalie Wood interpreta Maria, uma imigrante porto-riquenha que se apaixona pelo nova-iorquino Tony, vivido por Richard Beymer. Os dois se amam à primeira vista, mas o preconceito que a família de Maria sofre nos Estados Unidos e os amigos de Richard, da gangue rival Jets, pode colocar essa linda história de amor às ruínas. O filme também conta com a amiga de Maria, Anita, vivida por Rita Moreno, e Russ Tamblyn, o melhor amigo de Tony, o Riff, dos Jets.  

Mais uma vez, este é um filme baseado em uma peça musical homônima que estrelou nos palcos da Broadway em 1957, e tendo base Romeu e Julieta, não existe uma história de amor mais impossível do que essa. Aqui os preconceitos de classe, dos amigos e da própria família previnem que um grande amor aconteça, algo que infelizmente continua a acontecer na vida real. 

Com uma trilha sonora impactante, com músicas como I Feel Pretty, America e A Boy Like That, os amantes de musicais amam Amor, Sublime Amor (West Side Story, 1961) e com razão!

Coração Torturado (Bugambilia,1945)

Dolores Del Rio e Pedro Armendáriz juntos novamente!
Dolores del Rio é uma das atrizes mexicanas mais queridas do cinema internacional. Apesar de fazer sucesso nos Estados Unidos, em Hollywood, principalmente, foi no seu país de nascença que ela conseguiu os melhores papeis para si mesma. 

Um desses foi Coração Torturado (Bugambilia, 1945), dirigido por Emílio Fernández, no qual Dolores interpreta Amalia, uma jovem que desperta paixões para onde ela quer que vá. Rica, ela acaba se apaixonando pelo pobre dono de um estabelecimento que promove brigas de galo, o gentil Ricardo, vivido por Pedro Armendáriz. Mais uma vez as diferenças sociais e a desaprovação da família mancham o que seria uma grande história de amor. 

Bugambilia em português se traduz como Buganvília, um gênero botânico conhecido como a flora Primavera. São encontradas em diversas cores e florescem em ambientes tropicais, assim como a personagem de Dolores, Amalia, tão linda quanto a própria primavera. O romance de Amalia e Ricardo, aliás, está fadado ao fracasso desde o início, mas a construção do romance faz com que o espectador se apaixone por eles, mas principalmente por Dolores. 

O filme Coração Torturado (Bugamblia, 1945) pode ser encontrado no Youtube, em espanhol sem legendas. 


Primavera Numa Pequena Cidade (Spring in a Small Town,1948)

A atriz Wei Wei e o ator Li Wei se apaixonam neste clássico do diretor Fei Mu.
Não existem muitos filmes chineses que encontram a fama internacional em um mundo saturado por filmes hollywoodianos, mas Primavera Numa Pequena Cidade (Spring in a Small Town, 1948) é um filme tão poderoso que até hoje ele é objeto de análise e apreciação de cineastas, críticos e amantes da sétima arte no mundo todo. 

Dirigido por Fei Mu, o filme conta a história do casal Lyian e Yuwen Dai, vividos respectivamente pelo ator Shi Yu e a atriz Wei Wei. O casamento dos dois já não é mais amoroso há muito tempo e os dois ficam cada vez mais infelizes com o tempo. Isso até que o amigo de infância de Lyian, Zhang Zhichen, vivido por Li Wei, aparece para uma visita e acaba se apaixonando pela esposa de seu melhor amigo, com quem já havia namorado antes. 

O amor entre eles é extremamente aparente, mas o fato de Yuwen ser casada se torna um empecilho que nem o amor deles parece ser capaz de superar, além do fato de que a irmã de Yuwen se apaixonou por Zhang. Baseado em um conto do escritor Li Tianji, que escreveu o roteiro do filme, Primavera Numa Pequena Cidade (Spring in a Small Town, 1948) é um filme agridoce que ilustra muito bem como a mulher fica presa às tradições e assim, pode acabar nunca conseguindo sua liberdade.

O filme Primavera Numa Pequena Cidade (Spring in a Small Town, 1948) está disponível no Youtube, no áudio original com legendas em inglês. No dia dos namorados este é um filme obrigatório, que também teve uma refilmagem homônima lançada em 2002. 

Cristina (Christine,1958)

Romy Schneider e Alain Delon no seu primeiro filme juntos
Romy Schneider e Alan Delon tiveram um relacionamento um tanto conturbado: os dois se apaixonaram logo que atuaram juntos no filme Cristina (Christine, 1958) e namoraram por cinco anos, até que Alain largou a atriz para se casar com Nathalie Delon, com quem ele teve seu filho Anthony em 1964. 

Mas nas gravações de Cristina (Christine, 1958), dirigido por Pierre Gaspard-Huit, o amor entre eles ainda era novo, assim como de suas personagens, Christine, vivida por Romy e o soldado Franz Lobheiner, interpretado por Delon. O filme começa com Franz tentando terminar o caso que tem com a baronesa Lena Eggersdof, vivida por Micheline Presle, ao mesmo tempo que se apaixona pela jovem aspirante à atriz de ópera, Christine. O problema é que o marido da baronesa cada vez mais suspeita que sua esposa e Franz tem um caso e se ele descobrir as consequências poderão ser fatais. 

O filme Cristina (Christine, 1958) mostra muito bem como uma escolha errada pode acarretar em consequências terríveis para a felicidade de um casal que aparente estar fadado ao fracasso. Uma tragicomédia melodramática e elevada pelas atuações de Delon e Schneider, o filme representa o amor jovem e inconsequente, àquele que fica conosco para sempre. 

Assim como o caso de amor entre os dois protagonistas. Mais uma vez a arte imitando a vida. 

Desencanto (Brief Encounter, 1945)

Celia Johnson e Trevor Howard provam que os pequenos momentos contam
O filme britânico Desencanto (Brief Encounter, 1945) mostra muito bem como às vezes um momento pode mudar toda a sua vida. Nele encontramos a pacata dona de casa Laura Jesson, vivida por Celia Johnson, que toda a quinta-feira pega o trem para cidade para fazer compras e ir ao cinema. Na estação, ela encontra um charmoso passageiro chamado Alec Harvey, vivido por Trevor Howard, e os dois curtem tanto a companhia um do outro que decidem se encontrar novamente. 

A partir daí uma teia de mentiras começa a ser teada por Laura e Harvey quando o caso entre eles começa a ficar cada vez mais passional. Quanto mais o tempo passa, mais os dois percebem que manter um caso seria impossível e decidem se separar, o que não é nada fácil de realizarem. O filme Desencanto (Brief Encounter, 1940) deve ter sido base de inspiração para outra película, esta estrelada por Meryl Streep e Robert DeNiro chamada Amor à Primeira Vista (Falling in Love, 1994) e com o final feliz. 

Uma das grandes obras primas do cinema britânico, Desencanto (Brief Encounter, 1940), dirigido por David Lean, foi baseado na peça teatral Still Life de 1936 e foi um dos maiores sucessos do cinema naquela ano. A película prova que nunca é tarde demais para amar novamente, com intensidade, mesmo que nada saia como planejado. 

O filme Desencanto (Brief Encounter, 1940) está disponível, legendado, pelo Youtube. 

Carta de Uma Desconhecida (A Letter from a Unknown Woman, 1948)

Louis Jourdan e Joan Fontaine interpretam um casal fadado à tragédias 
Louis Jourdan já era um ator bem conhecido na França quando o diretor do estúdio MGM, David O' Selznick lhe ofereceu um contrato para atuar em filmes hollywoodianos. Joan Fontaine tinha ganhado, alguns anos antes, o Oscar como Melhor Atriz pelo seu filme Suspeita (Suspicion, 1942) e estava no auge de sua carreira. 

Os dois acabaram se unindo no filme Carta de uma Desconhecida (Letter from an Uknown Woman, 1948) no qual o papel de Jourdan como o pianista Stefan Brand se tornou o mais memorável de sua carreira perante às críticas. Joan interpretou a jovem e inocente Lisa, que se apaixona pelo pianista e seu talento e acaba engravidando dele. O problema é que Stefan vai embora e quando retorna para Viena, na França nem sequer se lembra de Lisa, que fica arrasada. 

O filme Carta de uma Desconhecida (Letter from an Unkown Woman, 1948) foi baseada no livro homônimo escrito por Stefan Zweig, em parte baseado em sua vida, e foi um sucesso tremendo de público. O romance entre Lisa e Stefan e como o egoísmo de uma pessoa pode arruinar a vida de outra, mesmo que ela ame de forma indiscriminada. 

Dirigido por Max Ophüls, o filme Carta de Uma Desconhecida (Letter from an Unknown Woman, 1948) é a história perfeita de amor impossível para se deleitar no dia dos Namorados. Ótimas atuações, roteiros e, é claro, um amor indiscutível. 

Cyrano de Bergerac (idem, 1950)

José Ferrer interpreta o clássico personagem apaixonado por sua prima
Um dos personagens mais discutidos da literatura, Cyrano de Bergerac impressiona ao demonstrar o amor humilde que tem por sua prima, Roxane era quase tão grande quanto o tamanho de seu disforme nariz. 

Cyrano de Bergerac existiu e foi um escritor francês, além de duelista e roteirista de peças no século XVIII. Mas se na vida real, existem rumores de que Cyrano era homossexual, na peça romantizada e escrita sobre sua vida por Edmond Rostand, Bergerac era apaixonado por Roxane, mas devido ao seu rosto desfigurado decidiu ajudar o jovem Christian de Neuvilitte a conquistá-la, pois tudo que queria era ver seu amor feliz. 

José Ferrer ganhou o Oscar de Melhor Ator por sua interpretação de Cyrano, enquanto que o papel da bela Roxane ficou à encargo de Mala Powers. O bonito rapaz que tira vantagem do amor de Cyrano para conquistar sua amada foi interpretado por William Prince. 

A peça Cyrano de Bergerac deu origem à outras adaptações, mas todas elas mostram muito bem a dor de um amor não correspondido, seja por amar alguém que nunca poderíamos ter. Mas Cyrano de Bergerac (idem, 1950) também dá esperança: para o amor nada é impossível. 

Porgy & Bess (idem, 1959)

Este é um filme polêmico, mas a química entre Dorothy Dandridge e Sidney Poitier é inegável 
Este filme estrelado por Dorothy Dandridge e Sidney Poitier é extremamente polêmico. Isso porque Porgy & Bess (idem, 1959) é um filme que contém inúmeros estereótipos de raça, mostrando os negros de uma forma extremamente sensualizada e pobre. Inúmeros artigos na internet ilustram os pontos negativos da peça teatral, escrita por Duboise Heywood, e com música de Ira e George Gershiwn, que é o seguinte: três pessoas escrevendo sobre uma cultura e raça que não pertencem e que não entendem.

Mesmo assim o musical Porgy & Bess sobreviveu desde sua criação como livro em 1925 por Duboise até hoje, sendo apresentada em teatros ao redor do mundo. O filme de 1959, a única adaptação da ópera para as telonas dirigido por Otto Preminger, conta a história de Porgy, um trabalhador na Carolina do Sul, vivido por Sidney Poitier, que se apaixona pela prostituta Bess, interpretada por Dorothy Dandridge. 

Os dois logo começam a morar juntos, mas o antigo cafetão de Bess não a deixa em paz e acaba estuprando-na. Culpada, Bess pede perdão a Porgy, mas a vida ainda irá colocar muitos outros obstáculos no relacionamento do casal. 

O filme Porgy & Bess (idem, 1959) no final conta a história de como um homem enfrenta várias dificuldades para ficar com a pessoa que mais ama. O amor em Porgy & Bess (idem, 1959) não é perfeito, assim como o filme, mas é real. 

Feliz dia dos Namorados à todos! 


Author Image

Sobre Caixa de Sucessos
Vem revirar a caixa do cinema com a gente! Filmes, músicas, arte, livros, séries - tudo que tem a ver com o universo clássico da sétima arte.

Nenhum comentário